sexta-feira, 10 de fevereiro de 2012



MARIA LUCÍLIA MOITA
(Alcanena, 1928 - Abrantes, 2011)


Aprendi com ela o que é a Arte, acompanhando-a em silêncio enquanto pintava o Arco da Fonte Nova. Muitos ainda se lembrarão da sua figura esguia, carregando a tela e os pincéis pelas ruas de Carreiras ou encaminhando-se para a casa da ti' Ana Rita, na Rua Nova, onde almoçava e descansava. Só hoje soube que faleceu, em Abrantes, no verão passado. Que a terra lhe seja leve!

1 comentário:

Adrián González da Costa disse...

Estimado Ruy,

Chamo-me Adrián Glez da Costa. Escrevo-lhe porque a equipa que está a organizar en Córdobna (Andaluzia) o encontro poético Cosmpoética gostava de contar com a sua participaçao.

Lamento contactar consigo através de aqqui, mas tentei encontrar o seu email mediante alguns amigos que conhecer Eládio Orta e António Sáenz Delgado.. mas sem êxito.

Eu sou apenas uma das pessoa que lá estarao e lerao alguns versos, por isso nao disponho de mais informaçao. Mas se quiser saber mais, é so entrar no (http://www.cosmopoetica.es/) ou também escrever à pessoa que contactou comigo: Joaquín Pérez Azústre: azaustre@yahoo.es.


Muito obrigado pela sua atençao.

Pesquisar neste blogue

Etiquetas

Arquivo do blogue

RAÍZES DE ALGUNS SANTUÁRIOS  DO NORTE ALENTEJANO A minha comunicação deste ano no Congresso Internacional "Terras de Endov...