quinta-feira, 3 de dezembro de 2009

CAPELA DE NOSSA SENHORA DE BELÉM
(Covas de Belém - Portalegre)



A capela particular de Nossa Senhora de Belém está situada a escassos quilómetros da cidade de Portalegre, numa quinta erguida na encosta da serra, em local hoje conhecido pelo topónimo Covas de Belém.
O único documento de que temos conhecimento sobre este edifício é assinado em 1758 pela mão de Manoel Gonçalves Boroa, pároco da Sé, freguesia a que pertence. Trata-se de uma passagem da "Memória Paroquial", que diz o seguinte:
"A Ermida que ao prezente há nesta freguezia mais frequentada das romagens he a de nossa senhora de Bellem, que em huma quinta sua fundou nas faldas da serra de Portalegre o Padre Frey Iozé do Sacramento Relligiozo da Órdem de são Ioão de Deos haverá trinta e sinco annos pouco mais ou menos, á qual em todo o tempo do anno concorre muyta gente em romaria assim da cidade, como desta Provincia, e ainda muyta do Reyno de Castella parte atrahidos da amenidade do sitio, e parte dos muytos milagres que fás a Imagem da senhora ou Deos por sua intercessão, da quinta em que ella está situada, he ao prezente possuidor o Reverendo Padre Iozé Meyra Barreto."
Os dados aqui presentes não contrariam aqueles que ainda hoje podemos observar no pequeno edifício, ladeado por duas habitações modestas, enquadrando um pátio soalheiro virado a sudoeste.
Trata-se, de facto, de uma capela edificada na primeira metade do século XVIII, quer pela sua estrutura arquitectónica em estilo chão, quer pela inscrição esculpida no lintel da porta de entrada: "F. [?] J. - N. S. DE BELEM 1723". As primeiras consoantes abreviadas deverão pertencer ao nome do fundador - Frei José do Sacramento. A restante legenda corresponde, como é bom de ver, ao orago da casa e ao ano da fundação - 1723.
O templo, de reduzidas dimensões, é constituído por dois volumes que correspondem às divisões do interior. O espaço antigamente destinado ao culto é constituído por nave e capela mor, separadas por um arco de volta perfeita saliente, tudo coberto por abóbadas de berço.
A fachada é dominada pela sua única porta, emoldurada por granito da região, com bases pouco salientes e decoradas por elementos geométicos, encimada por uma cornija - mantendo o gosto de finais do século XVII. A toda a largura da mesma corre uma outra cornija, em alvenaria, sobre a qual se ergue um frontão ligeiramente recortado, com ténues vestígios de decoração em massa. Nele se inscrevem um óculo de iluminação e um nicho. O conjunto é completado por três pináculos assentes sobre plintos, um no vértice e dois nas extremidades.
A imagem de Nossa Senhora, exposta no nicho da fachada, é uma peça em barro esculpida a meio corpo, na qual se observa a Virgem com cabeça inclinada coberta por manto, segurando com a mão direita o corpo do Menino que a abraça junto ao pescoço. Dotada de uma expressividade tipicamente barroca, cremos tratar-se de uma escultura saída da mão de barristas locais, embora com algumas características que a distinguem de outras congéneres conhecidas.
A capela de Nossa Senhora de Belém - a necessitar de conservação - foi transformada pelo seu proprietário, já no século XX, em lagar de vinho, servindo presentemente como arrecadação para os rendeiros da quinta.
Apesar da profanação, subsistia ainda há poucos anos - como vislumbre do espírito religioso - a devoção de um velho pastor que, todos os anos pela noite de Natal, alumiava a Senhora com uma lamparina de azeite.

1 comentário:

Anónimo disse...

Gostei mas é pena não vir acompanhado de uma foto...

Pesquisar neste blogue

Etiquetas

Arquivo do blogue

JUDEUS E CRISTÃOS-NOVOS DE CASTELO DE VIDE em livro imprescindível O Laboratório de Estudos Judaicos vai editar mais dois volumes...