quinta-feira, 3 de dezembro de 2009

CAPELA DE NOSSA SENHORA DAS DORES
(Quinta da Lameira - Reguengo, Portalegre)



Integrada no solar da Quinta da Lameira, a capela de Nossa Senhora das Dores situa-se na freguesia do Reguengo.
A casa nobre de que faz parte foi fundada e edificada no último quartel do século XVIII, mais precisamente no ano de 1783, conforme se pode ler em lápide de mármore colocada sob o brasão dos proprietários: "IOAO DA FON[SECA] ACHIOLI / COU[TINH]O E D. MARIA SERGIA / ACHIOLI DE SOUZA TAVA- / RES FIZERÃO NO ANNO / DE MDCCLXXXIII". Trata-se de um edifício alongado, com um só piso na fachada principal, possuindo em cada extremidade dois corpos mais elevados.
O pequeno templo particular situa-se a poente, com entrada pelo exterior, orientado no sentido Norte - Sul. A fachada é ladeada por pilastras de alvenaria pintada, sendo a porta de entrada e a janela de iluminação debruadas por molduras em granito lavrado ao gosto barroco da época da fundação. O conjunto é encimado por um beirado ornamental, sobre o qual se ergue um frontão recortado, cuja ornamentação é feita por algum trabalho em massa, simples, com espirais emoldurando o conjunto e - no tímpano - um óculo falso ladeado por elementos fitomórficos. A decoração é completada por acrotérios: uma cruz no do vértice e dois pináculos nas extremidades.
O interior é de pequenas dimensões, com tribuna sobre a entrada.
Possui um retábulo barroco de finais do século XVIII, em alvenaria pintada e dourada, com um nicho central ladeado por colunas e duas peanhas. Nele está exposta à veneração a "Virgem da Lameira" - Nossa Senhora das Dores - escultura em madeira estofada, de excepcional beleza e dramaticidade, com resplendor e setas em prata, atribuída - segundo Luís Keil - ao escultor Machado de Castro (cf. Keil, 1943: 152). Para além desta peça, são ainda de destacar as imagens de São João Baptista e de São Diogo, mais pequenas, também do século XVIII, de interessante mas mais simples factura.
As paredes de capela estão revestidas por seis painéis de estuque representando cenas da vida de Jesus Cristo, nomeadamente algumas das dores de Nossa Senhora, em coerência com o orago. No lado direito temos o encontro de Cristo com as mulheres de Jerusalém e Jesus crucificado a quem um soldado estende uma cana com esponja na extremidade para lhe dar de beber. No lado esquerdo observamos o Menino entre os doutores e a descida da cruz. Nestas paredes laterais estão duas portas (sendo uma delas falsa) sobre as quais existem ainda dois medalhões ovais representando a fuga para o Egipto e Santa Maria Madalena.
Ao culto nesta capela de Nossa Senhora das Dores está ainda uma imagem do Senhor da Paciência, exemplar dos chamados "barros de Portalegre" - em cor natural.
Estruturalmente o seu estado de conservação é bom, necessitando no entanto de restauro no altar e nos estuques.

Sem comentários:

Pesquisar neste blogue

Etiquetas

Arquivo do blogue

RAÍZES DE ALGUNS SANTUÁRIOS  DO NORTE ALENTEJANO A minha comunicação deste ano no Congresso Internacional "Terras de Endov...