quinta-feira, 3 de maio de 2007


CASTELO DE VIDE EM 1758

(continuação)





A minha igreja de São João Baptista foi no tempo antigo uma ermida de Santa Maria Madalena e a matriz outra ermida de Santa Maria, edificada na era de César de 1349, que é o ano de 1311, por Lourenço Pires e Domingas Joanes, sua mulher, como se vê de um letreiro gótico escrito em uma pedra mármore, que está debaixo da pedra-de-ara do altar-maior. A matriz antiga desta vila se desfez e em seu lugar se erigiram as duas freguesias: [a] matriz, de Santa Maria da Devesa, e São João. E porque ambas nasceram daquela matriz, são hoje a primeira e segunda paróquia e Sant’ Iago, que era a segunda paróquia, ficou sendo a terceira.
Foram as ditas freguesias edificadas nas duas ermidas. Fez-se a de São João de sorte que o altar-maior ficou dentro da ermida de Santa Maria Madalena. Parte da ermida ficou da parte do Evangelho, servindo de sacristia, e a outra parte da banda da Epístola é a parte inferior da torre dos sinos. Em ambas se vêem arcos e portados e antigas cantarias da ermida antiga e se vê são remendos da nova igreja.



O pároco de São João se chamava antigamente “vigário”, como se vê dos livros antigos dos baptizados. Hoje se chama “prior”, é da apresentação do Grão-Prior do Crato. A renda dela serão seiscentos mil réis, de que levam as religiosas maltesas de Estremoz dois terços e o prior um.

Aditamento ao sétimo 7ª [sic]

É o orago hoje São João Baptista, que está no altar-mor, no alto do retábulo, e em baixo, à direita, São Domingos e à esquerda São Gonçalo de Amarante. Fora da capela-mor, no lado direito, está a capela de Santa Maria Madalena, a qual dotou e pôs fábrica o prior frei António Rodrigues Sarzedas, em um vínculo que fez. Da parte da Epístola fica o altar de São Brás, cuja imagem festejam uns devotos no seu dia. Abaixo deste, fica a capela de Nossa Senhora do Bom Sucesso, que foi mandada fazer por Francisco Carrilho de Carvalho, prior da dita igreja, no ano de 1694. E não tem mais altares. Tem a dita igreja três naves. Não tem irmandade alguma.



Não tem beneficiados e só tem um cura, a quem pagam as freiras ditas e o prior da igreja.

10ª

Tem esta vila convento do Recoletos de São Francisco, fundado e dotado por Gaspar de Matos e sua mulher Brites de Matos, da principal nobreza desta vila. E deram para o dito convento se fazer as suas casas e para cerca a sua quinta em 14 de Março de 1584, por declaração que ele foi fazer à Câmara. Em 20 de Outubro tornou a Câmara a declarar que dava mais 400 000 digo quatrocentos mil réis.
À quinta se chamava da Conceição e sobre a porta tinha uma imagem desta senhora. Daqui tomou o nome e orago o dito convento e sobre a porta da igreja está a mesma imagem que estava na porta da quinta.
Deixou Gaspar de Matos o padroado a seu sobrinho, Diogo Cardoso de Matos. Há certas pensões em seu testamento que não aprovou e, por sua morte, houve contenda entre oito sobrinhos e se anulou seu testamento e os religiosos tomaram por padroeira a Câmara desta vila.
Em segunda-feira, 20 de Maio de 1589, se lançou a primeira pedra na obra. Em 2 de Agosto de 1592 se disse a primeira missa. Tem a igreja cinco altares. A coisa mais notável que há neste convento é um retrato e imagem verdadeira de Cristo, a qual está fixada na porta do sacrário, a qual trouxe de Roma frei Diogo Serrano Mouzinho, frade claustral. A pintura é de admirável primo, em lâmina de cobre, e por baixo tem uma inscrição com letras de ouro que diz o seguinte: “Retrato e imagem verdadeira de Jesus Cristo Salvador e Senhor Nosso, [a] qual foi tirada de Amiralda pelo Grão Turco e mandad[a] de presente ao para Inocêncio VIII para efeito de resgatar um irmão que tinha cativo”.

11ª

Tem esta vila Casa de Misercórdia e hospital. Tem de renda um conto de réis. Seus administradores são os mesmos irmãos da Misericórdia.

12ª

A Casa da Misericórdia, que está junta com o hospital, foi fundada na antiga ermida de Santo Amaro e, por isso, é hoje este santo o seu orago. Tem a igreja três altares. A coisa notável é os muitos milagres que esta santo obrou no tempo antigo, cujas autênticas estão no arquivo da Casa.

13ª e 14ª

Tem a minha freguesia sete ermidas e são as seguintes: intramuros, Nossa Senhora da Alegria, que é antiquíssima, do tempo da primitiva cristandade, e é a padroeira desta vila e festejada com grande devoção pelos moradores dela; e, extramuros, as ermidas de São José, edificada no ano de 1620 por Gonçalo Mendes e sua mulher Ana Gomes; a de Santo António da Ribeira, edificada no ano de 1700 por Sebastião Fernandes Ramilo e sua mulher Ana Gomes; a ermida de São Miguel, no alto da serra de que esta toma o nome; a de São Paulo apóstolo, na ponta da serra; a da Senhora da Penha, edificada em um penhasco da mesma serra no ano de 1570. É esta Senhora de muita devoção e tem em seus braços a imagem do Senhor morto. Concorrem [sic] todos os sábados do ano muita gente deste povo e ainda fora dele. Tem mais a ermida de Nossa Senhora das Virtudes.

15ª

São os frutos da terra alguns trigos, cevada, centeio e milho miúdo, vinho, azeite, castanha, frutas temporãs como pêras, maçãs, cerejas, ginjas e também da mesma qualidade frutas de guarda, de excelente gosto e abundância.

16ª

Tem esta vila juiz de fora deste que primeiro se erigiram neste reino. Tem Câmara, três vereadores, procurador do concelho e escrivão, que têm grandes regalias. Apresentam dois morgados e os ofícios de juiz vedor e escrivão dos panos, juiz e escrivão dos órfãos, escrivão da almotaçaria e também os ofícios de inquiridor, distribuidor e avaliadores.

17ª nada


(continua)

Sem comentários:

Pesquisar neste blogue

Etiquetas

Arquivo do blogue

JUDEUS E CRISTÃOS-NOVOS DE CASTELO DE VIDE em livro imprescindível O Laboratório de Estudos Judaicos vai editar mais dois volumes...